NOTÍCIAS

CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA, COMPLETA 114 ANOS

CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA, COMPLETA 114 ANOS

No dia 22 de junho, a Convenção Batista Brasileira completou 114 anos de organização. A data sempre nos faz relembrar o início do trabalho e o desenrolar da nossa história até aqui. Por isso, nesta edição de O Jornal Batista, que vale lembrar, é mais antigo que a própria Convenção (1901), vamos revisitar o passado com informações que estão no site da CBB e a íntegra da matéria sobre a 1a Assembleia da CBB, que aconteceu na cidade de Salvador, na Bahia. A matéria foi publicada na edição 24, de 04 de julho de 1907.

 Para manter um pouco da originalidade, alguns nomes de organizações, por exemplo, foram mantidos com a grafia original da época. Assim como foi para nós, aqui na redação de OJB, nosso desejo é que você “viaje” pelo tempo ao ler a história da nossa Convenção, tão rica e que continua sendo escrita todos os dias.

 Organização da Convenção

Segundo José dos Reis Pereira, Salomão Ginsburg foi a primeira pessoa a pensar na organização de uma Convenção Nacional dos Batistas Brasileiros. Mas, somente em 1907, a ideia foi concretizada. A. B. Deter, Zacharias Taylor e Salomão Ginsburg concordaram em dar prosseguimento ao plano. Eles conseguiram a adesão de outros missionários e de líderes brasileiros, inclusive Francisco Fulgêncio Soren, que tinha, inicialmente, algumas reservas.

 A comissão organizadora optou pela data de 22 de junho de 1907 para organizar a Convenção, na cidade de Salvador, quando transcorreriam os primeiros 25 anos do início do trabalho Batista brasileiro, também iniciado na referida cidade. No dia aprazado, no prédio do ALJUBE, onde funcionava a PIB de Salvador, em sessão solene, foi realizada a primeira Assembleia da Convenção Batista Brasileira, composta de 43 mensageiros enviados por Igrejas e organizações. A casa estava cheia. O clima era de festa, celebrando o que Deus fizera a partir daquele início tão pequeno!

 Criada a Convenção, foi eleita sua primeira diretoria:

• Presidente: Francisco Fulgêncio Soren;

• Primeiro vice-presidente: Joaquim Fernandes Lessa;

• Segundo vice-presidente: João Borges da Rocha;

• Primeiro secretário: Teodoro Rodrigues Teixeira;

• Segundo secretário - Manuel I. Sampaio;

• Tesoureiro: Zacharias Taylor.

 Tesoureiro: Zacharias Taylor. A motivação básica da criação da Convenção foi Missões, e falava-se na evangelização de Portugal, Chile e África. Foram criadas, além das duas Juntas Missionárias, Missões Nacionais e Missões Estrangeiras (hoje Missões Mundiais) outras juntas: para a Casa Publicadora Batista, para Escola Bíblica Dominical, para União de Mocidade Batista, para Educação e Seminário, e para a Administração do Seminário. Ao todo, 7 Juntas.

 As áreas de Missões, Educação Religiosa e Publicações, Educação Teológica e Educação, foram as que receberam maior atenção dos convencionais.

 Primeira Convenção das Egrejas Baptistas do Brazil

 “O resultado desta 1a Convenção foi além da expectativa de todos. Sentiu-se que o Espírito do Senhor estava sobre nós e apareceu-nos pela primeira vez, como nunca antes. Como é que as Igrejas Batistas e independentes e soberanas, segundo os preceitos da escritura, se unem e cooperam na difusão do Evangelho de Jesus Cristo, em obediência ao Mestre, que disse: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. O regime democrático Batista é o regime por excelência, porque é o regime divino.

 Sem uma alta côrte, sem uma cabeça visível, sem uma corporação que legisle sobre as Igrejas Batistas, os Batistas se unem nas empresas mais estupendas, como sejam missões, colégios, hospitais etc. E assim que são governados 5 milhões de Batistas nos Estados Unidos, quase meio milhão na Inglaterra etc. Assim em todo o mundo, estamos fazendo aqui. Os Batistas se reúnem e combinam operar juntos, por isso se chamam Convenções: convenções distritais, convenções estaduais, convenções nacionais etc.

 A nossa Convenção na Bahia durou 5 dias, de 23 a 27 de junho, e celebrou seis sessões. Foi composta de 45 delegados, representando 45 Igrejas e sociedades. Claro está que muitas Igrejas e sociedades não se puderam representar por dificuldades pecuniárias. O delegado do Amazonas, irmão E.A Nelson, teve de pagar 400 mil réis pela sua passagem; muitos pagaram 200 mil réis, outros menos. Isto dá ideia do grande interesse que houve para reunir 45 delegados de todos os nossos campos. Se todas as Igrejas se representassem, só de Igrejas teríamos 100 delegados, pois tantas são as Igrejas que temos.

 Foi eleita a seguinte diretoria: Presidente: pastor F.F. Soren; primeiro vice-presidente: pastor Joaquim Lessa; segundo dito: pastor João Borges da Rocha; primeiro secretário: Theodoro R. Teixeira; segundo dito: pastor Manoel Ignacio Sampaio; e tesoureiro: pastor Z.C. Taylor.

 Na terceira sessão foi aprovada provisoriamente a Constituição e autorizada a mesma comissão de Constituição a propor na 2° Convenção as emendas que forem julgadas necessárias e apresentar um projeto de regimento interno. Esta comissão é composta dor irmãos doutor W. B. Bagby, pastores F. F. Soren, D. F. Crosland e Z. C. Taylor. A Constituição, tal como foi aprovada, será publicada em folheto, juntamente com a ata e pareceres.

 Durante as sessões foram lidas teses importantes e pareceres sobre diversos assuntos. Os pareceres serão publicados com as atas, mas as teses irão sendo publicadas no Jornal Baptista sempre que haja espaço. São dignos de menção especial o magistral sermão do pastor F. F. Soren, “Evangelização pátria”, e as memórias históricas dos pastores W. B. Bagby e Z. C. Taylor, que esperamos em breve dar a publicidade.

 Foram eleitas as seguintes juntas para vigência da 1a Convenção: Junta de Evangelização Nacional, com sede em Campos; Junta de Missões Estrangeiras, com sede no Recife; Junta da União da Mocidade Baptista, com sede na Bahia; Junta de Educação e Seminario, com sede no Rio; Junta de Escolas Dominicaes, com sede no Rio; Junta da Casa Publicadora, com sede no Rio; Administração do Seminario. Os nomes constituintes dessas juntas constarão das atas a publicar. As Mesas Administrativas que cada uma delas terá de eleger, serão conhecidas mais tarde.

 Foi resolvida a publicação do excelente livro A Heroína da fé para o que durante a Convenção se receberam ofertas e adiantamentos, pagos uns, outros em promessa, de cerca de um conto de réis. Foi tirada uma coleta entre os delegados mais amigos para a Junta de Missões Nacionaes que rendeu 125 mil réis. Foram recebidas promessa e dinheiro para a Junta de Missões Estrangeiras que atingiu a cerca de 800 mil réis. Foram recebidas promessas e dinheiro para a publicação das atas que atingem a cerca de 250 mil réis; e mais 108 mil réis para pagamento de programas e outras publicações.

 A Convenção mandou um telegrama de felicitações ao doutor Willingham, secretário da Junta de Missões Americana, de Richmond, o qual respondeu da Convenção Estadoal de Kentucky reunida em Mayfield com a passagem Judas 3. Foi mandado um telegrama ao sr. dr. Affonso Penna, presidente da República, o qual telegrafou agradecendo.

 Uma comissão foi designada para cumprimentar o sr. dr. Governador do estado da Bahia e oferecer-lhe um volume da Bíblia Sagrada e um volume da História dos Baptistas. O ilustre político recebeu amavelmente a comissão pedindo-lhe que agradecesse à Convenção e lhe transmitisse seus votos de prosperidade.

 A gloriosa imprensa baiana, sem distinção, recebeu distinta e cavalheirosamente a comissão que foi a visitar e pôs as suas colunas a nossa disposição. Todos os dias, os jornais publicavam extensas notícias da Convenção. Graças à imprensa, a Convenção teve um sucesso exterior que talvez não seria de esperar. Durante as pregações da noite tivemos a casa repleta de muitas famílias da mais alta sociedade, finalmente, de todas as classes.

 Em qualquer lugar que os delegados se apresentavam com seus distintivos eram respeitados e acatados pelo povo, e até tomaram interesse perguntando-lhes algo a respeito da Convenção, graças ao prestígio da imprensa. É digno de nota que numa cidade ultra-católica como é a Bahia haja tal respeito pela crença alheia. Foi justo, portanto, que a comissão mandasse agradecer à imprensa a sua máxima gentileza para conosco. A cada uma das redações, a Convenção ofereceu um exemplar da Bíblia Sagrada. Durante as sessões, a Convenção foi visitada por distintos cavalheiros da alta sociedade baiana.

 Três ofertas recebeu a Convenção, ofertas que mandou agradecer. De cada uma das sociedades bíblicas, um caixão de Bíblias e Novos Testamentos, cujo produto reverterá para a Junta de Evangelisação Nacional. Do ilustre sr. prefeito do Distrito Federal, general Aguiar, uma linda coleção de vistas fotográficas, em tamanho grande, da cidade do Rio de Janeiro.

 A Convenção resolveu recomendar às Igrejas para que tirem anualmente uma coleta para cada uma das sociedades bíblicas. Também resolveu recomendar às Igrejas que tirem mensalmente uma coleta para missões nacionais. Essas foram as resoluções e acontecimentos mais importantes da Convenção, que no dia 27, de noite, encerrou os seus trabalhos com a tocante cena de união fraternal.

 Os irmãos hospedeiros trataram os delegados da melhor maneira. Durante os trabalhos da Convenção, o jantar era fornecido numa das dependências da Igreja. Era a Sociedade de Senhoras que fazia o trabalho e o fazia de modo brilhante. A sra. Taylor presidia a tudo e ainda tinha de dividir a sua reconhecida atividade com bom número de hóspedes que tinha em sua casa.

 Os delegados não tiveram que gastar nem um vintém com o seu desembarque e embarque, condução de malas etc. As comissões de hospedagem fizeram esse trabalho tão corretamente que não somente os delegados não tiveram de gastar como também não tiveram que ter cuidado de coisa alguma. Enfim, os irmãos baianos puseram sobre os irmãos do Rio, onde se reunirá a 2a Convenção, um encargo bem pesado, para não lhe ficarem atrás.

 Que Deus abençoe os irmãos da Bahia, a Convenção e todas as decisões por ela tomadas.” Que o nosso Deus continue à frente da Convenção Batista Brasileira, guiando todas as nossas decisões e fazendo crescer o trabalho de Convenções, organizações, juntas missionárias e Igrejas. Parabéns a todos nós, Batistas brasileiros!