BLOG

FAMÍLIAS QUE PREVALECEM

FAMÍLIAS QUE PREVALECEM

Uma realidade que se apresenta a nós, hoje em dia, no que tange à família, é que a formação clássica com pai, mãe e filhos já deixou de ser maioria no Brasil. Aquela cena clássica da propaganda dos anos 90 (família Doriana), é raro de se ver. A família vai ganhando novos contornos - e novas configurações familiares se apresentam diante de nós.

 

No tocante a estas novas configurações – temos como protagonistas, mães e pais solteiros, casais homoafetivos, avós e tios cuidadores. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) - revelam que “desde 2005, o perfil composto unicamente por pai mãe e filho deixou de ser maioria. No estudo, em 2015, o tradicional arranjo ocupava 42,3% dos lares pesquisados, uma queda de 7,8 pontos percentuais em relação a 2005, quando a maioria abrangia 50,1% das moradias. Ou seja, formatos diferentes desse já são maioria”.

 

É neste contexto tão diversificado, onde as famílias encontram-se em crise, onde o casamento está banalizado, onde os divórcios acontecem aos borbotões, onde verifica-se uma erosão dos princípios éticos, morais e espirituais na família, que somos convocados a prevalecer enquanto família, utilizando os princípios estabelecidos pela Palavra de Deus que é viva e eficaz.

 

Ao utilizarmos a parábola do bom pastor, contada por Jesus, pontuaremos alguns princípios que, se forem observados por nós no contexto da família, permitirão que nossa família prevaleça. Em primeiro lugar, famílias que prevalecem seguem o comando de Cristo (João 10.3). Quem está no comando de sua família? Sua família está sem comando? Seguir o comando de Cristo, este é o desafio da família. Observe que as ovelhas ouvem a voz do pastor (Jesus) e Ele as conduz para fora. O comando é dele.

 

Ele lidera. De que maneira a família pode seguir o comando de Cristo? Conhecendo e aplicando os princípios da palavra no seu dia a dia. A família que segue a voz de comando de Cristo prioriza a Deus. O pastor e escritor Luciano Subirá afirma: “Não há nada, absolutamente nada, que possa ocupar o primeiro lugar de nossas vidas, a não ser Deus”. Em uma escala de valores na família, Deus deve ter prioridade. É com muita tristeza que observamos que Deus deixou de ser o centro, a prioridade em muitas casas.

 

Em segundo lugar, famílias que prevalecem são pastoreadas pelo exemplo (João 10.4). No texto em apreço, o pastor (Jesus) vai adiante das ovelhas e elas, por consequência, o seguem. Elas o seguem porque vê no seu líder o exemplo. Ensinamos mais pelo exemplo do que pelas palavras. A palavra fala, o exemplo grita. O filósofo e escritor Mario Sérgio Cortela afirma: “Uma criança pequena não tem ideia do que é justo ou injusto, mas ela imita os modos de conduta dos pais. O mundo que vamos deixar para nossos filhos depende muito dos filhos que vamos deixar para esse mundo”.

 

Em terceiro lugar, famílias que prevalecem, os seus integrantes lutam por ela (João 10.11). O trabalho dos pastores era constante e perigoso visto que, além disso, deviam proteger o rebanho dos animais selvagens, em particular os lobos, e sempre haviam assaltantes dispostos a roubar as ovelhas. Assim como os pastores protegiam o rebanho, nós também precisamos lutar por nossa família, nossos filhos, cônjuge, contra os lobos que estão à espreita para destruir nosso lar, filhos e o nosso casamento.

 

Uma das experiências mais significativas que tive em meu ministério, foi quando recebi em meu gabinete uma mãe aflita que saiu de casa e foi até uma boca de fumo atrás de seu filho. Depois de achá-lo foi até ao meu encontro. Ao adentrar no gabinete pediu que eu orasse por seu filho. Depois de orar e conversar com a mãe e o filho, ela soltou a seguinte expressão que muito me marcou: “pastor, eu não abro mão do meu filho. Não desistirei dele”. Dileto leitor, não desista de lutar pelo seu casamento, por seus filhos, por sua família.

 

Em último lugar, famílias que prevalecem têm em Cristo a esperança de salvação (João 10.9). A esperança de salvação de uma família não está no fato de pertencer a uma Igreja, ou seguir uma determinada religião. A salvação da família está no Bom Pastor, Jesus Cristo. Jesus é a porta da salvação, a porta do céu. Ninguém pode entrar na bem-aventurança eterna senão por meio de Jesus. 

 

José Manuel Monteiro Jr. pastor, colaborador de OJB