BLOG

ACONSELHAMENTO PÓS-TRAUMA PARA MULHERES

ACONSELHAMENTO PÓS-TRAUMA PARA MULHERES

Ataques de grupos radicais islâmicos traumatizam a vida de mulheres na Nigéria, seja pela perda dos maridos ou ao serem sequestradas. Essas sobreviventes precisam de cura para o trauma em todas as áreas da vida.

A perseguição na Nigéria

As mulheres na Nigéria experimentam a vulnerabilidade na prática. Além de não possuírem os mesmos privilégios que os homens, frequentes ataques de grupos militantes islâmicos, como Boko Haram e pastores de cabra fulani, as tornam ainda mais vulneráveis. Elas estão sujeitas a sequestros e também podem perder maridos e filhos, que geralmente são os provedores do lar. Quando isso acontece, precisam conseguir emprego em um cenário que não é favorável.

Conheça Ijanada

Ijanada é uma cristã da Nigéria. Quando tinha apenas 14 anos, o Boko Haram invadiu sua vila. Os familiares da jovem correram, mas ela se escondeu embaixo da cama. Membros do grupo entraram no quarto atirando e a viram. Após ser arrastada de onde estava, foi levada para o acampamento e ameaçada de que, se não deixasse a Cristo, seria morta. Ijanada foi escravizada e obrigada a casar. Ela ficou grávida e, pouco tempo após dar à luz, ficou grávida novamente.

Certa noite, em 2018, a jovem levantou e percebeu que todos tinham saído para um ataque. Ijanada aproveitou a oportunidade para fugir com o filho, Luka. Ela ficou quatro meses em um local onde vítimas de cativeiro são mantidas e, só após esse período, entrou em contato com a família. Ela foi recebida pela família com Luka, agora com dois anos, e grávida de seis meses. Após alguns meses, Warasini nasceu.

Ao participar do aconselhamento pós-trauma, Ijanada afirmou: “Eu encontrei vida nova aqui. Além das orações, fui encorajada e ensinada sobre o perdão genuíno. Aprendi a perdoar quem me ofendeu e zombou de mim. Se não tivesse participado do seminário, continuaria cheia de amargura”.

 

 

fonte: portas abertas